Tâmega e Sousa, Portugal
(since 2020)

Cultura em Rede – Tâmega e Sousa
Client: Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa
Strategic consultancy, conceptual design and artistic coordination.

Project co-funded by Norte 2020, Portugal 2020 and European Union by the ERDF – European Regional Development Fund.

Cultura em Rede – Tâmega e Sousa
Cliente: Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa
Consultoria estratégica, desenho conceptual e coordenação artística.

Projeto cofinanciado pelo Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

INVENTA proposes to provoke the territory of the Douro, Tâmega and Sousa, its population, its tourists and visitors in the 2021/2022 biennium, by the implementation of cultural and artistic activities in the region’s natural, landscape and heritage spaces. The cultural programming network is materialized by the organization of events integrated into eight core programmatic axis, connected to each other and decentralized in the network’s partner territories – 14 municipalities. The programming responds to a common artistic thread, to a programmatic axis in the architectural, natural or landscape heritage and to a group of artistic projects that roam in each programmed cycle.

The Douro, Tâmega and Sousa region has an enormous historical reference to enhance, combined with the development of cultural strategies in recent decades with common ambition, dispersing itself in a territory rich in heritage, in natural, architectural and cultural terms. Thus, the relevance of this partnership becomes evident as it fosters the development of a transversal programming strategy, in active connection with the heritage and the landscape, able to attract visitors, tourists and potential “new” inhabitants to these territories.

Artistic programming considers music as a binding domain, looking for disciplinary crossovers and complementary activities as essential in the creation of an integrative and differentiating context for programming. In this sense, the contemporary circus, as an emerging creative domain; the exploration of presentation contexts different from conventional venues and models, enhancing the integration of heritage and landscape circuits; and the connection to the image and aesthetic performative dimension of the projects programmed in association with the region’s landscape will constitute a differentiating dimension and dramaturgical construction of the proposed programming design.

The narrative of the chronological development of project activities follows a dramaturgy of (re)visiting the history of the territory, from its origin – valuing the natural landscapes -, passing through civilization and its technical development – highlighting the heritage diversity, and in particular the Romanesque and Baroque periods – and, finally, facing the present and urban civilization in its essential characteristics, promoting values of diversity, integration and equity, through the active participation of communities in the artistic projects to be developed.

O INVENTA propõe-se a provocar o território do Douro, Tâmega e Sousa, a sua população, os seus turistas e visitantes no biénio 2021/2022, privilegiando a realização de atividades culturais e artísticas em espaços naturais, paisagísticos e patrimoniais da região. A rede de programação cultural materializa-se pela realização de eventos integrados em oito atividades programáticas nucleares, conectadas entre si e descentralizadas nos territórios parceiros da rede – 14 municípios. A programação responde a um fio condutor artístico comum, a um eixo programático no património arquitetónico, natural ou paisagístico e a um grupo de projetos artísticos em itinerância em cada ciclo programado.

A região do Douro, Tâmega e Sousa reveste-se de um enorme referencial histórico a valorizar, aliado ao desenvolvimento de estratégias culturais nas últimas décadas com ambição comum, dispersando-se por um território patrimonialmente rico, em termos naturais, arquitetónicos e culturais. Assim, a relevância desta parceria torna-se evidente ao potenciar o desenvolvimento de uma estratégia de programação transversal, em ligação ativa com o património e a paisagem, apta a captar visitantes, turistas e potenciais “novos” habitantes para estes territórios.

A programação artística considera a música como domínio aglutinador, encarando os cruzamentos disciplinares e as atividades complementares como essenciais na criação de contexto integrador e diferenciador de programação. Neste sentido, o circo contemporâneo, enquanto domínio criativo emergente; a exploração de contextos de apresentação distintos das salas e modelos convencionais, potenciando a integração de circuitos patrimoniais e paisagísticos; e a ligação à imagem e dimensão estética performativa dos projetos programados em associação à paisagem da região irão constituir uma dimensão diferenciadora e de construção dramatúrgica do desenho de programação proposto.

A narrativa do desenvolvimento cronológico das atividades de programação segue uma dramaturgia de (re)visitação da história do território, desde a sua origem – valorizando as paisagens naturais –, passando pela civilização e seu desenvolvimento técnico – destacando a diversidade patrimonial, e em especial dos períodos românico e barroco – e, por fim, encarar a atualidade e a civilização urbana nas suas características essenciais, promovendo valores de diversidade, integração e equidade, através da participação ativa das comunidades nos projetos artísticos a desenvolver.